Afinal, depois de muita conversa, você conseguiu convencer seus pais a liberar uma “graninha” para a tão sonhada guitarra? Ou, quem sabe, juntou dinheiro e está pronto para adquirir o instrumento. Parabéns! E para completar sua felicidade, hoje vou ajudar você a escolher a guitarra ideal.

O mercado está repleto de modelos (que bom!), cada um com suas características, seu visual, som e, é claro, finalidades e experiências diferentes.

escolher-primeira-guitarra

Antes de levar para casa o instrumento idêntico ao do seu astro preferido, é bom saber se ele vai combinar direitinho com o tipo de som que você vai fazer com ele. Vai tocar rock? Heavy metal? Blues? Country? Tudo?

Sabendo disso, fica mais fácil optar por um modelo específico, descomplicando a compra, e minimizando o risco de cair na conversa de algum vendedor cujo critério é somente a matemática. Principalmente se ela valorizar o bolso dele, não é mesmo?

Caro amigo (ou amiga) iniciante, basicamente, existem dois tipos de guitarra: Les Paul e Stratocaster. Tudo bem, alguém vai dizer que estou enganado, mas eu explico. Mesmo que existam outros formatos, a maioria deles é baseada nos dois clássicos. Simples assim…

A Strato possui um timbre mais aberto, com mais brilho, seu corpo é mais esticado e o braço confortável. A guitarra Les Paul tem um som mais puxado para o grave, seu braço é um pouco mais “gordo”, proporcionando um timbre muito mais encorpado em relação ao da Stratocaster.

Dicas para você comprar a primeira guitarra

O aconselhável é testar o instrumento. Ok, isso não faz muito sentido para um iniciante que, obviamente, não entende muito a pegada da guitarra ou não tem o ouvido preparado para perceber o timbre e detalhes técnicos dela.

dicas-comprar-guitarra

Por isso, o ideal é que você tenha uma pessoa de confiança para ajudar na escolha.

Não tem alguém de assim? Então, fique atento ao seguinte:

  1. Decidido o orçamento que será gasto, lembre-se que uma guitarra nova, que realmente permita um bom aprendizado, custa a partir de R$400,00, dependendo do local. Às vezes, é melhor esperar, investir um pouco mais, pois nessa faixa de preço é difícil conseguir um instrumento que mantenha a afinação, que seja confortável para tocar e que estimule o desenvolvimento técnico.
  2. Por menos de R$800,00, evite os modelos de guitarra com Floyd Rose. Pelo menos por enquanto, no começo do aprendizado. Infelizmente, o preço reflete diretamente a qualidade do instrumento. E, no Brasil, é comum o preço superfaturado.
  3. Verifique se as bobinas dos captadores estão funcionando. Use qualquer objeto de metal e aproxime-o dos polos do captador. Quando ligado, ao aproximar e bater em um dos 6 (ou 12) polos, você deverá ouvir um estalo forte. Repita o procedimento em todos os polos alternando a chave seletora de acordo com o captador.
  4. Cheque o braço da guitarra: segure a 6ª corda na 1ª e 22ª casas (algumas possuem 24 trastes, então segure a 1ª e a 24ª). Olhe com cuidado o 12° traste. Se a corda estiver muito afastada ou encostando no braço, o instrumento está desregulado. Um luthier pode até resolver o problema, mas o ideal é comprar uma guitarra já regulada.
  5. Confira o acabamento – verifique pequenas batidas, problemas com a pintura, enfim, pontos que poderão prejudicar uma futura venda.
  6. Priorize o conforto – modelos como SG e Flying V são ótimos, mas nem todos ficam confortáveis com eles.
  7. Visual também conta – escolha um modelo que lhe agrade esteticamente. Afinal, isso proporciona mais inspiração, motivação para tocar. Porém, beleza não é tudo, ok?
  8. Procure ruídos – teste a chave seletora dos captadores, os pots de volume e tone. Um instrumento novo não pode apresentar sons estranhos.
  9. Confira os parafusos das roldanas da correia – com uma chave de fenda do tipo Philips, aperte os parafusos. Em caso de folga, é melhor partir para outra guitarra.

Boa sorte! Até breve com mais dicas!